08/03/2018
AÇO

Brasil vai recorrer de decisão americana

A 2ª Missão da indústria brasileira do aço acabou, dia 28 de fevereiro, as negociações com as autoridades americanas para a exclusão do Brasil na Seção 232 – medida de segurança nacional que impõe limitações à exportação de aço para o país. A delegação brasileira participou de várias reuniões com o Congresso Americano e entidades de classe de produtores e consumidores de aço. 
 
O Ministro do MDIC, Marcos Jorge de Lima, se encontrou, em Washington, com Wilbur Ross, secretário de Comércio americano para tratar do assunto. O Brasil alega que as exportações para os Estados Unidos em sua maioria são de semiacabados (80% do total), atendendo à necessidade americana de complementariedade numa longa e sólida relação comercial. A delegação brasileira ficou surpresa com a possibilidade de o Brasil ser enquadrado no grupo de 12 países que teriam as maiores restrições a serem impostas pelos EUA, com tarifas de importação de 53%. O anúncio de que o Brasil será enquadrado na tarifa de importação de aço de 25% corrige essa distorção, mas ainda não atende aquilo que o Brasil considera justo em uma relação comercial. O Brasil vai recorrer.