05/09/2018
REJEITOS

AngloGold investe em disposição a seco

A AngloGold Ashanti investirá R$ 400 milhões em um projeto de disposição de rejeitos a seco nas suas operações no complexo Cuiabá-Lamego, localizado em Sabará (MG). A expectativa é que o projeto seja concluído em 2022, sendo que 35% dos rejeitos do ativo de Cuiabá já são dispostos usando esse método. 
 
Segundo o presidente da companhia no Brasil, Camilo Farace, o projeto segue as novas tendências sustentáveis do setor na atualidade. “O investimento está em fase de desenvolvimento dos projetos e deve ser finalizado e entrar em operação em 2022”, reforçou. 
 
A AngloGold Ashanti registrou também a chegada da mina de Lamego ao município de Caeté pelo subterrâneo. Em operação desde 2009, a mina compõe a Unidade de Negócios Cuiabá-Lamego, responsável por 50% da produção nacional da empresa e por empregar mais de 3.300 pessoas, entre diretos e indiretos, dos quais 1,2 mil residem em Caeté. “Por ser um munícipio vizinho às nossas operações, já tínhamos presença em Caeté há vários anos, contribuindo com o desenvolvimento local do munícipio, por meio da geração de empregos, de compras com fornecedores locais e investimento social. Agora, este marco representa um novo momento em nossa história que, sem dúvida alguma, estreita nossas relações”, ressalta Camilo Farace.
 
Em 2017, a companhia promoveu R$ 3,7 milhões em compras locais com empresas do município e R$ 293 mil de investimento social na cidade. “A AngloGold Ashanti já participa ativamente da vida do cidadão caeteense, com projetos de responsabilidade ambiental, social e cultural. A cada dia, a união entre a empresa e o município se torna mais forte”, afirma Lucas Coelho, prefeito de Caeté. 
 
A chegada da mina a Caeté é uma operação importante para o grupo. “O que produzimos nesta mina contribui para alcançarmos nossa meta de produção nacional de cerca de 17 toneladas ao ano, o que representa 15% da produção da AngloGold Ashanti no mundo”, destaca. A companhia investiu no que há de mais moderno em inovação e tecnologia para alcançar excelência operacional na mina.  

Veja também