20/07/2017
CBA

AGP visa melhorar gestão pública em Alumínio

A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) desenvolve o Programa Apoio à Gestão Pública (AGP) no município de Alumínio (SP), iniciativa idealizada pelo Instituto Votorantim e BNDES, com execução da GeoBrasilis, consultoria que, entre outras especialidades, executa planejamentos estratégicos e de gestão ambiental. 
 
O AGP tem como objetivo apoiar a modernização de gestões públicas e melhorar as infraestruturas municipais. O programa é aplicado nas cidades onde empresas do Grupo Votorantim atuam, tornando-as mais independentes e protagonistas de seu próprio desenvolvimento. Em Alumínio, o programa apoiará a prefeitura em dois desafios: desenvolvimento do Plano Plurianual e Plano Diretor Participativo, dois pilares do AGP que ocorrem simultaneamente. 
 
O Plano Diretor Participativo é um planejamento urbano e territorial com objetivo de definir o crescimento e o funcionamento da cidade. O Plano Plurianual consiste na orientação orçamentária do município a partir de diretrizes, objetivos e metas para as prioridades de investimentos. Inicialmente será realizado diagnóstico da situação de Alumínio, a partir da leitura técnica associada à comunidade, que participa de reuniões que ocorrem entre os dias 17 e 20 de julho. Serão discutidos assuntos de infraestrutura urbana, meio ambiente, desenvolvimento econômico e desenvolvimento social. Além das reuniões, a comunidade poderá contribuir também através do site dedicado aos projetos, planejandoaluminio.wixsite.com/aluminio, respondendo questões relativas ao futuro da cidade para os próximos 10 anos. O site possui ainda a agenda de encontros e informações essenciais para entender como funciona o AGP. “A CBA e seus parceiros acreditam que o AGP auxiliará as empresas e a população de Alumínio a evoluírem com sinergia, contribuindo para a transformação de um ambiente onde todos ganham”, diz Alan Ferreira da Costa, consultor de Comunicação e Responsabilidade Social da CBA.
 
Uma vez que o Plano Diretor Participativo é criado, torna-se lei municipal, por isso todo o seu processo é acompanhado por representantes da Câmara Municipal. Já o Plano Plurianual, renovado a cada quatro anos, diz respeito aos recursos do município, a verba que será destinada para cada ação, de acordo com as prioridades da cidade. Isto é, no Plano Diretor Participativo são traçadas as diretrizes para o futuro, a partir dos olhos da comunidade, e no Plano Plurianual, o orçamento dessas atividades.