10/11/2016
BARRAGENS

ABRH promove nova rodada sobre segurança

A Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH) realiza, desde 17 de agosto, uma série de rodadas de oficinas sobre segurança de barragens, para debater a matéria com empreendedores, órgãos gestores e fiscalizadores, defesa civil, especialistas, incluindo as áreas técnicas das engenharias e geotecnias, engenharia ambiental, entre outros. Ao todo já aconteceram nove rodadas de um total de dez - Florianópolis, Santa Maria (RS), Curitiba, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Fortaleza, Maceió e São Paulo.

A rodada final está marcada para o dia 29 de novembro, em Brasília, quando serão coletadas as contribuições obtidas nos eventos pelo País e que, sistematizadas, serão encaminhadas às instâncias decisórias do governo.“Existem hoje no Brasil mais de 17 mil barragens, das quais pouco mais de 2 mil estão classificadas adequadamente. A lei 12.334, que é de 2012, considerada nova, prevê uma classificação de acordo com o dano potencial e categoria de risco, sejam as barragens destinadas à acumulação de água, resíduos industriais, de rejeito, mineração ou de concreto”, explica a professora Jussara Cabral, doutora em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental, ex-presidente da ABRH e conselheira do CNRH – Conselho Nacional de Recursos Hídricos. A professora apresentará um diagnóstico da situação atual, com base no Relatório de Segurança de Barragens, elaborado anualmente pela Agência Nacional de Águas - ANA

As oficinas reuniram mais de 250 especialistas até o momento. Os resultados parciais estão disponibilizados em http://www.abrh.org.br/oficinaPNSB/. A oficina de Brasília será dia 29 de novembro, na sede do MMA – Ministério do Meio Ambiente e deverá reunir, além dos especialistas, os representantes e coordenadores das oficinas realizadas nos demais estados. As rodadas contam com o apoio e participação da ABES – Associação Brasileira de Engenharia Ambiental, do CBDB – Comissão Brasileira de Barragens, Ministério do Meio Ambiente, da ANA – Agência Nacional de Águas e da SRHU/ MMA– Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano, além da CIGB ICOLD – Comissão Internacional de Grandes Barragens.